Skip to content

Bio

KADY é uma artista nascida a 21 de janeiro de 1987 na Ilha de Santiago, na cidade da Praia. A artista cresceu rodeada de música e de grandes Mulheres que contribuíram para definir e moldar a sua personalidade.

A música faz parte da sua vida desde tenra idade e em criança a artista fez parte de uma banda, os Mea-Culpa. O grupo era constituído pelos filhos dos membros da banda Simentera, da qual a mãe (Terezinha Araújo) fazia parte. Na adolescência, venceu competições musicais para jovens cantores, destacando-se o prémio que conquistou de melhor voz infantil de Cabo Verde, no Festival Internacional dos Pequenos Cantores. Nessa fase da sua vida, integrou ainda o grupo de rock “Os Blende” e fez teatro. Por sua vez, em idade adulta, apostou num percurso de formação musical, tendo passado pelos Estados Unidos, Brasil e Portugal, e feito coros para diversos cantores cabo-verdianos como DjodjeDani SantozSara AlhinhoRicky Boy.

O seu primeiro álbum, Kaminho, editado em 2015, abriu precisamente um caminho novo para a cantora, sendo um álbum feito de “experiências e de escolhas, de cumplicidades e afetos” e onde juntou o “melhor da música cabo-verdiana cantada no crioulo deste país às grandes músicas negras norte-americanas, frutos diversos, mas irmãos da mesma árvore africana”.

Em 2016, após a sua participação no Atlantic Music Expo, em Cabo Verde, KADY recebeu uma bolsa de estudos da Berklee College of Music para frequentar o Berklee Five Week Summer Performance Program, em Boston.

Em 2020, concretizou mais um marco importante na sua carreira com uma participação no Festival da Canção 2020, com a canção “Diz Só”, composta por Dino D’Santiago e com letra de Kalaf Espalanga.

Atualmente, a artista está numa nova etapa da carreira, assumindo uma nova sonoridade que surgiu de forma muito natural e num momento onde a artista sentiu uma reconexão com a música e com todo o seu processo de criação. Neste percurso de transição, de (re)encontro, autodescoberta e autoconhecimento, KADY renasce como artista e consequentemente como pessoa.

Tempu’ e ‘Djuntu’ ditam o compasso desta nova fase de KADY e marcam o tom do que está para vir. Neste trabalho, uma fusão entre a pop e a música tradicional de Cabo Verde mas arrogado de uma nova contemporaneidade, cada letra e melodia são sentidas na pele e as canções surgem como uma homenagem às raízes da cantora e compositora e, simultaneamente, um manifesto e uma apologia ao empoderamento, emancipação, força, beleza e orgulho da mulher africana.

Music

Kady, capa do single "Tempu"

Tempu